Como cuidar da sua saúde mental em momento de crise

Sentimento de solidão, alteração do sono, estresse, tristeza ou medo excessivo podem contribuir negativamente para a nossa saúde mental. Assim como para o enfraquecimento do nosso sistema imunológico, nos deixando mais vulneráveis ao COVID-19. Todos o fatores podem ser potencializados se nos encontrarmos afastados nos nossos grupos sociais- como é o caso da quarentena. Pensando nisso, resolvi compartilhar com você alguns dicas que podem te ajudar nesse processo.


  1. Mantenha-se conectado: uma ótima maneira de lidar com os efeitos relacionados ao estresse e o isolamento social durante a pandemia é nós mantermos conectados. O isolamento físico não significa que tenhamos que nos socialmente. Videochamadas, telefones, emails e até mesmo a boa e velha carta são uma maneira de nos mantermos conectados uns aos outros. Faça um bom uso da redes sócias e comunidades virtuais. Elas podem nos dar o senso de comunidade que venhamos a perder com o isolamento físico.

  2. Filtre a qualidade e quantidade de informações recebidas: a constante exposição ao tema e à informações de fontes duvidosas e/ou sem embasamento científico podem nos distanciar da realidade e super potencializar eventos negativos, gerando um sentimento de ansiedade e/ou mesmo pânico desnecessário. Portanto, tente compartilhar somente o necessário e informações de fontes seguras, e por uma determinada quantidade de tempo por dia. Aproveitando o resto do seu tempo para se engajar em outros assuntos e atividades.

  3. Mantenha uma rotina: Uma boa estratégia para cuidar da saúde mental é planejar uma rotina, já que ter um hábito regular traz equilíbrio emocional. Quarentena não é férias. Então, tente manter a sua rotina mais próxima do normal o possível. Alimentação, sono, trabalho (caso seja possível), atividade física etc...Para aqueles que não podem trabalhar é hora de aproveitar o tempo livre para organizar a casa, se exercitar, praticar o relacionamento familiar ou mesmo desenvolver atividades que tragam prazer, o ócio criativo.



4. Faça atividade física: Apesar das academias estarem fechadas e de devermos evitar qualquer atividade que exija uma concentração de pessoas. Ainda assim, podemos nos exercitar em casa, pedalar, fazer uma caminhada... Quando nos exercitamos,liberamos endorfina. A endorfina tem uma potente ação analgésica e ao ser liberada estimula a sensação de bem-estar, conforto, melhor estado de humor e alegria.


5. Tire projetos da gaveta: Nao tem nada para fazer? Que tal investir energia naquele projeto que você nunca tem tempo de desenvolver? Pode ser uma ótima forma de estimular a sua criatividade, manter a mente engajada e focar em outro assunto que não seja a pandemia.


6. Aceite, reconheça e acolha seus sentimentos: A psicologia explica que o medo é uma resposta adaptativa que ajuda a nos mantermos alerta e tomarmos medidas para diminuir os riscos, evitar ou enfrentar o que nos ameaça. Mas, quando esse medo toma proporções descabidas, pode ser expressado em forma de crise de ansiedade. Que pode ser alimentada pela incerteza que vivenciamos no momento. A tristeza também pode aparecer, devido ao isolamento social, falta de rotina e desesperança de que dias melhores virão. Se esses sentimentos vierem,em algum momento nessa quarentena, os reconheça, aceite e acolha sem julgamento. E, se sentir vontade, compartilhe-os num diário,com um amigo, medite... Tente não resistir. “O que resiste,persiste!”...Somos todos humanos e, como tais, estamos vulneráveis a esses e muitos outros sentimentos. E, num nível leve a moderado, eles são até mesmos esperados. Fazem parte da nossa condição humana. Mas, não nos tornam pessoas fracas ou incapazes, como muitas vezes nos julgamos.


7.Peça a ajuda: Se esses sentimentos tomarem uma proporção que fuja do seu controle, peça ajuda! Você não precisa sofrer sozinho. Converse com um amigo, um familiar, alguém da sua confiança. E se achar que deve, procure uma ajuda profissional. Mas cuide da sua saúde mental. Ela importa tanto quanto a sua saúde física!


Recent Posts

See All

O que você sabe sobre compulsão alimentar?

Muitas pessoas têm dúvida sobre esse tema e acabam confundindo exageros ocasionais com o Transtorno da Compulsão Alimentar(TCA). Se você é uma dessas pessoas, vale a pena a leitura. Sabe quando temos

all rights reserved by CATIA LOPES PSYCHOTHERAPY

Disclaimer: As is common in therapy, results may vary from individual to individual and no specific outcome can be promised or guaranteed. Your psychotherapist will however, endeavour to accomplish the objective of your sessions to the best of her ability.